"As obras de Suas mãos são verdade e justiça; Imutáveis os Seus preceitos; Irrevogáveis pelos séculos eternos; Instituídos com justiça e eqüidade." - Salmo 110, 7-8

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Alvaro Uribe: um presidente religioso e autoritário

AFP

"O presidente colombiano Alvaro Uribe, um advogado que chegou ao poder em 2002 e que poderá se apresentar para um terceiro mandato, em 2010, é com frequência apresentado como o irmão conservador inimigo do vizinho Hugo Chavez, por sua popularidade, seu gosto pelo poder e sua dificuldade em admitir críticas.

O presidente colombiano Alvaro Uribe, fiel membro da rígida organização católica Opus Dei ostenta publicamente uma fé quase mística, tendo comandado com mão-de-ferro uma estratégia implacável para fragilizar as guerrilhas de esquerda.

Proprietário de terras, Alvaro Uribe, 57 anos, conseguiu ano passado o que foi comemorado como um feito surpreendente: a libertação de 15 reféns das Farc, entre eles a franco-colombiana Ingrid Betancourt e três americanos, obtida graças a uma operação executada com perfeição pelo Exército colombiano.

"Persistir, insistir e nunca desistir" é o lema de Uribe, como ele mesmo lembrou durante um discurso no palácio presidencial em homenagem aos ex-reféns que acabavam de ser libertados.

Pouco antes, ele havia se reunido com os bispos da hierarquia católica do país, os primeiros com quem quis comemorar a libertação.

"Esta operação que transcorreu sob os poderes do Espírito Santo, do Senhor e da Virgem Maria foi uma ação de inteligência comparável às mais importantes epopéias épicas da história da humanidade, declarou Uribe aos prelados.

Entre 7.000 e 10.000 guerrilheiros das Farc ainda estão ativos, principalmente no Sul e no Leste do país, mas desertaram nas grandes cidades.

Goza, após 7 anos de poder, de uma cota de popularidade de 68%, apesar do isolamento regional crescente da Colômbia por ter aceitado um reforço da presença militar americana em seu solo.

Em 2006, havia sido reeleito graças a uma reforma constitucional autorizando-o a brigar por um segundo mandato, mas vem sendo alvo de uma investigação da Corte Suprema devido a suspeitas de compra de votos de parlamentares.

Seu estilo coloquial e direto e sua enorme capacidade de trabalho - ele acorda antes das 05H00 e vai dormir depois da meia-noite - lhe rendem um amplo apoio popular.

Uribe não duvida em pregar publicamente a abstinência sexual, sua oposição à legalização do aborto e à descriminalização do consumo de drogas.

Sobre esses temas sociais, ele tem opiniões muito mais radicais que sua mulher, a filósofa Lina Moreno, com quem teve dois filhos.

O dirigente colombiano é considerado um verdadeiro asceta, que se veste de forma simples. Considerado populista por seus detratores, ele tem uma fama de autoritário, confirmada pela forma como se dirige rispidamente aos militares diariamente para exigir resultados concretos em sua cruzada contra as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). As cabeças de cerca de 30 generais caíram desde que Uribe assumiu o controle do país.

Aliado incondicional dos Estados Unidos - que financiaram sua estratégia com mais de quatro bilhões de dólares - ele prometeu a derrota da guerrilha, a quem acusa de ter assassinado seu pai em junho de 1983 e de ter tentado matá-lo várias vezes.

No entanto, Uribe nega categoricamente que seu combate contra a guerrilha tenha motivos pessoais."

4 comentários:

Monarquia em Ação disse...

A Agência France Press procurou redigir uma nota que torna Alvaro Uribe antipático para o cidadão comum desacostumado a analizar mais profundamente um texto. A crescente popularidade do Presidente Colombiano na América Latina e seu exemplo de resistência a ditadores populistas vai granjear uma perseguição por parte destes orgãos da mídia de orientação esquerdista.
Parabéns Uribe por sua resistência, por sua catolicidade e por sua tenacidade.

Evandro Monteiro disse...

Poxa, aqui no Brasil não tem nenhum parecido, que pudesse se candidatar em 2010?

Sara Rozante disse...

Caríssimos amigos, apesar de ue ser totalmente contrária à reeleição, concordo que há exceções. O caso de Álvaro Uribe, está mais do que claro que a Colômbia precisa dele. Seus opositores têm parte com a escória socialista, e isso é inadimissível.
Aqui no Brasil, tem o Eymael, que considero um candidato razoável. Um deputado que admiro, é o Paes de Lira.
Bom, mas espero que as coisas melhorem por aqui, nesses termos.
Fiquem com Deus!

Sara Rozante

Dionatan da Silveira Cunha disse...

Gente, o Paes de Lira é um bom deputado, alinhado com nossos ideais (não é campanha, mais é o que acho). Quanto ao Uribe, está colocando a Colombia na pauta do moderno Sistema Internacional.

Dionatan da Silveira Cunha.

A autora

Minha foto
Filha da Santa Igreja Católica Apostólica Romana.